28 de dez de 2009

E só no comecinho da noite de hoje
já passaram três estrelas cadentes por aqui
só para olhar pra você
E tem também o vento,
que sopra só pra tentar
fazer um carinho nos teus cabelos

11 de dez de 2009

Confiança

não precisa jurar
nem perguntar a ninguém
é so você dizer que é verdade
e eu acredito

A porta

A porta sempre esteve aberta
e sempre estará
Não significa que você poderá
entrar e sair quando quiser
nem fazer o que bem entender
Só quer dizer que não tenho as chaves
E se você vier perguntar se pode entrar
eu posso responder: claro que não!

7 de dez de 2009

Logo de cara

Logo de cara eu senti teu perfume
bater na minha porta
como se fosse um absurdo
me invadiu num sussurro
e me seduz em arrepios

30 de nov de 2009

Diálogo

- Apaga isso, garoto! O garçon vai pedir pra gente ir embora.
- Por que?
- Porque agora é lei.
- Se não pode mais fumar aqui dentro pra quê esses cinzeiros nas mesas?
- Pois é... Vamos levar de lembrança?

26 de nov de 2009

Fingimento

Eu inventei todas as verdades que te disse
e foi tudo de coração
porque eu quis te alegrar
gosto de te ver sorrir
e quero te ver feliz

25 de nov de 2009

Diálogo

- Olha o que eu comprei!
- Grandes merdas.
- Poxa, eu tinha comprado pra você...

Canção

Disse que não vinha mas veio
e eu já não esperava
o presente que eu comprei tinha descido na desgarga
E eu nem quis abrir a porta com medo de mim
Eu não quis reabrir a porta depois do fim

Restava ainda meia garrafa aberta
e as chaves jogadas em cima da mesa
Mas meu olhar já estava perdido numa janela de um outro prédio

Comprei uma camiseta branca
desenhei um coração
e escrevi assim:
você não entra mais aqui

20 de nov de 2009

20 de novembro

Vamos alisar nossos cabelos
Vamos fazer uma plástica no nariz
Vamos seguir um deus embranquecido
Vamos chamar os ritmos que não negam os tambores africanos de sub-cultura
Vamos nos esforçar para ficar cada vez mais próximos de padrões euroaceitáveis
Vamos lá!
Vamos comemorar o dia da Consciência Negra 

15 de nov de 2009

Voz no ouvido

Lá pro meio da madrugada
eu já nem prestava mais atenção no que ouvia
só sei que ele ia tirando as palavras
como se fosse um strip tease

12 de nov de 2009

Diálogo

- Você devia parar de fumar.
- Tá bom, vou lá fora acender um cigarro pra pensar melhor sobre isso.

11 de nov de 2009

Entre cigarros e Halls

As nuvens correm rápido
em meio as estrelas
o tempo passa
Os pássaros noturnos
se perdem no início da madrugada
os copos se esvaziam
As ruas começam a ficar solitárias
algumas pessoas passam
Encontro um pequeno álbum de fotos
com retratos velhos

29 de out de 2009

Simples

Dentro da geladeira
Como se estivesse se escondendo atrás de algumas garrafas
Encontrei uma caixa esquecida há muito tempo
Dentro dela ainda havia um bombom
Era um coração frio, gelado
E o fim foi muito simples.

21 de out de 2009

Cinzas

Foi então que, num rompante,
no meio da madrugada
deu um pulo da cama
e abriu vorazmente a gaveta do armário
sem pensar duas vezes
juntou todas suas cartas e bilhetes,
que ela havia guardado por todo esse tempo.

O fogo durou menos de cinco minutos.

26 de set de 2009

Planos bebados

Então eu pensei que
de repente a gente podia
sentar num barzinho do centro
pedir uma cerveja ou uma cachacinha com limão
conversar e rir das desgraças da vida
e ver as luzes que colorem a ponte
enquanto os pingos da chuva
caem na poça coloca ao meio fio

Talvez voltassemos abraçadinhos
caminhando lerdamente pela beira do canal
cantando músicas desafinadas
e torcendo pro dia amanhecer ensolarado

14 de set de 2009

A feia na vitrine

Deitada na cama, sozinha
Ela assistia um programa sobre cirurgia plástica na TV
Algum tempo depois, levantou
Olhou-se no espelho do banheiro
Passou pela cozinha e resolveu beber um copo d'água
Reparou que havia uma faca em cima da pia
Foi então que, ainda segurando o copo, revelou baixinho:
- Van Gogh me entederia.

10 de set de 2009

Canções de Sá

Sá,
Sabe-se lá se 'ce sabe 
assoviar as músicas que eu gosto...?

Sa de saborear,
de sentir e de beijar
só pra provar seu gosto

Sá,
sabe-se lá se eu vou estar aqui quando você voltar?
 

21 de ago de 2009

Praia das Dunas

Gosto desse céu azul-sorrindo
contrastando com o branco-calmo da areia 
e do mar azul-confuso que não sabe se é verde
batendo no acizentado meio marrom das pedras 

15 de ago de 2009

Bossa nova

Poetinha,
ele dói em paz,
sem guerras
E mesmo em Ipanema 
só resta uma bandeira
com o desenho de um coração
que não bate mais em ninguém

9 de ago de 2009

Novamente agosto

Procuro algo 

que me tire o paladar

pra desimpregnar de mim o teu gosto

Procuro alguém

que faça eu esquecer

que vivi esse desgosto

Procuro o antídoto

porque bebi esse veneno

que me foi imposto

Procuro um cara

que retire da minha mente o seu rosto

Mas é novamente agosto.

Novamente agosto...

10 de jul de 2009

D de Dedos

Os dedos já não querem mais tocar o piano

Já não querem mais ser geradores de música e risos

Desejam apenas ser dedos

E se meterem onde não são chamados

E ocasionalmente serem metidos onde são convidados

São apenas dedos.

4 de jul de 2009

Estrada

Parta a sorte em duas partes
Pegue uma e vá embora
Deixe uma parte da sorte para trás
E caminhe com suas próprias pernas
Buscando desafios
Ponha a mochila nas costas
E o pé na estrada.

28 de jun de 2009

Feridas clichê

Já que o Merthiolate não arde mais
talvez agora eu possa usá-lo
para curar as feridas ainda abertas
que sangram toda vez que meu coração bate
e assim, finalmente, tirar esse band-aid
Porque coração com curativo 
além de doer, fica muito feio...

24 de jun de 2009

Creep IV

Quando você cair
eu vou te ajudar
vou te estender a mão
e te mostrar o caminho

Caminharei à sua frente
limparei sua estrada
chutarei as pedras
e taparei os buracos

Enfrentarei todos os seus medos
não existe o que temer,
vou estar ao seu lado

E se mesmo assim você se machucar
posso cuidar de você...

19 de jun de 2009

Deixe para depois

Deixe pra amanhã
Aquilo que você queria fazer agora

Porque agora você está de cabeça quente
E possivelmente fará merda

Mas amanhã, logo pela manhãzinha
Você verá o sol nascendo,
Ouvirá os pássaros cantando
Caminhará pela areia da praia
E isso vai te fazer espairecer.

Vai por mim,
Deixa pra depois...

Ah, o amor!

O Amor se acostumou a sair armado com suas flexas envenenadas disparando a torto e a direito com seu arco promotor de corações apaixonados. Mas um dia ele parou para analisar seus feitos e percebeu que causava muita confusão, então resolveu se desarmar.

Decidiu o tal do Eros que daquele dia em diante iria "reparar" os disparos feitos só de pirraça, aqueles para os quais ele sequer mirara o alvo e também os que por algum outro motivo lhe causaram arrependendimento.

Saiu convencido de que resolveria tudo muito facilmente, mas no caminho da empreitada tropeçou numa das pedras da estrada e deu de cara com um pivete curioso que logo quis saber quem ele era e o que estava fazendo naquelas bandas.

- Sou o Eros, vulgo Cupido, o deus do amor. Sou eu o responsável por fazer as pessoas cairem de amores. Estou aqui porque andei formando uns casais errados, fiz um monte de pessoas amar quem não deveriam. Vim para desfazer o efeito do amor.

O menino gargalhou e disse:

- Para quem se diz um deus, você não sabe de nada! Cupido, você até pode se desarmar, mas nunca fará ninguém desamar. Amor é pra sempre.

Então Eros voltou pra casa, colocou novamente seu arco nas costas e entendeu que aquela era sua missão.




Moral roxa da história: É amor? Então fodeu! Ou não...

16 de jun de 2009

Aquela foto

Como pode alguém normal
passar horas a fio olhando uma foto,
vendo e revendo os mínimos detalhes?
É só uma foto, só uma imagem
Não tem o toque da sua barba na minha pele
não tem como sentir o seu perfume
não dá pra acompanhar o brilho desses olhos
que mudam de verde para azul de acordo
com a iluminação do ambiente
não tem como passar meus dedos nos seus cabelos
tampouco minhas mãos pelo seu corpo
sentir você em todos os sentidos
De tudo o que foi só restaram fotos,
belos registros de dias felizes do passado
mas que agora só servem para acordar
sentimentos antagônicos que fazem eu não saber o que fazer.

11 de jun de 2009

Um barquinho de papel

Eu quis navegar os seus mares
com um barquinho de papel
que acabo de aprender a fazer
e entrei no barco
sem medo de afundar
sem me preocupar com a maré,
as ondas ou o vento forte
Agora procuro onde aportar.

10 de jun de 2009

Cena 2

Ele caminha pela calçada
mãos nos bolsos da calça jeans
casaco preto, all star
um sorriso tímido por fora
e escancarado por dentro.
Anda por entre as pessoas
como se não tivesse ninguém
pelo seu caminho porque, no fundo,
não consegue tirar aquele rosto da cabeça.
Segue torcendo para esbarrar
com ela em alguma esquina da cidade.

6 de jun de 2009

Pra te explicar

Porque quando fecho os olhos
a primeira coisa que eu vejo é você
como se o seu cheiro nos meus lençóis
ainda fosse real
Porque nessa madrugada fria
eu acordei e senti falta do seu abraço
do meu corpo junto ao seu
de sentir sua respiração no meu pescoço
Porque até poucos dias
eu não me enxergava em nenhum outro lugar
que não fosse ao seu lado
Mas agora,
agora eu quero te expulsar de mim
mesmo sabendo que você é um dos poucos
que entenderia se eu escrevesse
apenas três letras:
JTM.

1 de jun de 2009

Ontem

E eu já não
precisava de nada
Bastava seu sorriso
sua voz
seu olhar
Era só isso
e esse "só"
já era tudo

Caros sentimentos baratos

Se eu tivesse algum poder sobre os critérios,
bastaria que ele dissesse que gosta
de ouvir Bebel Gilberto, Beatles e AC/DC,
de Coca-Cola e caipirinha,
de chocolate branco e batata frita
e ficava tudo certo.
Mas aí o Cupido aparece,
mete meu coração no meio
e destrói o que poderia ser perfeito.

30 de mai de 2009

Creep I

Não importa onde eu vá
é sempre eu e você
nas flores do caminho
nas pedras do caminho

As músicas no rádio
e até a lista telefônica
os filmes e os livros
me levam pra você

Fiquei sem respirar
por vários meses
e agora, finalmente,
o ar está de volta
leve como se fosse serrano

28 de mai de 2009

Cena 1

No carro ouvindo Why worry,
do Dire Straits,
pára no sinal fechado
Ela, com as mãos no volante
o vê atravessar a faixa de pedestres
Dois olhares se cruzam
- Diretor, slow motion!

26 de mai de 2009

25 de mai de 2009

Fim

Passos rápidos
descem as escadas
como se o apartamento
já fosse claustrofóbico
e a espera pelo elevador
não valesse a pena,
por temer companhia.

No chão do corredor,
rosas despedaçadas.
Na sacada, lágrimas.

17 de mai de 2009

Dezesseis do cinco

Sentada na areia da praia
o vento embaraça meus cabelos
a maresia está no ar frio
as ondas quebram nas pedras do Forte
e tudo o que eu queria agora
era a sua mão forte envolvendo meus dedos magros.

Solo

Lá vai ele
partindo com a guitarra na costas
mas não sabe
que cada passo
soa como um acorde
Lá vai ele
ao som desse solo de gitarra
Ele parte
deixa meu coração em pedaços

14 de mai de 2009

Saudades eternas

Saudades eternas
não é uma simples expressão
É uma forma de tortura
algo que não cicatriza
um bumerangue afiado
que vai e volta
e sempre leva embora
um pedaço de mim.

6 de mai de 2009

Deep

There's nothing in your smile
and I don't know why
you're still here
so inside me
so deep...

14 de abr de 2009

Tsc, tsc, tsc...

Ele me ligou.
Eu preferia que tivesse apenas
deixado um bombom
na mesinha de cabeceira
com um bilhetinho
escrito "bom dia".

Mas ele preferiu ligar e estragar tudo!

7 de abr de 2009

Reflexões de sofá

Olhando friamente
para o molho de chaves
que estava em cima da mesa,
ficou se perguntando
o que valeria mais
naquele momento:
um maço de cigarros
ou um novo encontro...

6 de abr de 2009

Q de Química

Quando eu digo que
gosto de amores catalíticos
você diz que não acredita
em relações catalíticas

Por sorte há quem afirme
que os opostos se atraem

Minha unha na sua pele:
Química

Respirar/Suspirar

Eu não sei se as pessoas entendem
que é só pra lembrar de você
que eu fico exatamente naquela parte da praia
Não sei se os outros percebem
que eu traço linhas imaginárias
ligando as pintas do seu corpo
como se pudesse construir um desenho
que una as suas às minhas,
seu corpo ao meu,
você a mim

5 de mar de 2009

Intensos tons de azul e verde

- Que olhos, né?!
- Dá até vontade de mergulhar...
- Tenho medo de me afogar.
- Ah, eu me afogava!



2 de mar de 2009

E.

Quebram as ondas
arrebentam
batem nas pedras

A correnteza
já não consegue me levar
o mar já não me carrega

Resta nadar

19 de fev de 2009

B de Bruxa

Passam as bruxas
fogem de seu carrasco
seus feitiços não fizeram efeito
talvez se joguem de algum penhasco
não acreditaram em si mesmas,
isso foi um fiasco!

A de Assassinato

Matei a métrica e a estilística
num tiro só
não fugi, não menti
nem omiti que o fiz
me assumo culpada pelo crime
exposto aqui

15 de fev de 2009

Quiáltera

O que você vai pensar
quando se olhar no espelho
e vir que estou dentro dos teus olhos?
Eu posso escorregar das suas mãos...

Cada nota sua permanece
tocando dentro de mim

13 de fev de 2009

Sem dor

Não se pode viver sem dor

O coração deveria vir numa caixinha
muito bem almofadada
embrulhado em plástico bolha
e com um adesivo amarelo escrito "Cuidado! Frágil!"

Corações se partem muito facilmente...

7 de fev de 2009

Bússola

Me orienta
desorienta

mostra o norte
não deixa eu me perder
não quero te perder

4 de fev de 2009

Dança espanhola numa noite de novembro

Coisas confusas iluminado uma noite de verão
e eu pensei no seu nome
Pego uma flor que voa e a jogo pro alto
ela explode numa alucinação de cores
que colore uma multidão de palhaços de uma dança cigana que roda e roda
Passam os cheiros de tudo que nunca se imaginou
tropeçam em algo e quebram os vidros
fogem dos lobos
se escondem em argolas do mesmo circo

Vem dançar comigo
não sei o motivo
(você sabe, eu sempre nego)
Começo aos poucos
ofereço um brinde, você olha os insetos
Escondem os olhos com panos bonitos em ritos secretos
Andam no escuro e enxergam imagens que não sei o nome
são raios que brilham e quase nos deixam cegos

A dança segue

Meus dias de chuva (Seus dias nublados ou O meu "10 coisas que odeio em você")

Eu não suporto
esse silêncio no teu olhar
esse vazio nas suas palavras
seus pensamentos mesquinhos
seu comportamento evasivo
seus dias nublados
os filmes que você gosta
as músicas que você canta
sua forma de declamar meus versos
e a confusão que isso faz na minha mente

A letra

Eu te coloquei numa folha e te traduzi
Escrevi cada palavra,
cada vírgula:
"Eu sou o seu antídoto e o seu veneno
sou seu câncer e sua cura
sou seu clichê
sua originalidade
sua lágrima, seu sorriso
sou teu sinal de trânsito
sou um telefonema no meio da madrugada
sua desconfiança
a sua declaração de amor e
a sua declaração de guerra
a sua carteira vazia
a sua barra de chocolate
Eu sou o peixinho do seu aquário
seu bandido em fuga
seu piloto de fórmula 1
seu retrato em 3 x 4
seu cd do Radiohead
sou seu telejornal
a voz do seu rádio
o lixo da sua casa
sou seu dia nublado
a sua praia
o barulho do vento...
Sou o sumiço do seu troféu
a entrega do seu prêmio
seu cheque sem fundo
seu celular sem crédito
seu relógio do camelô
seu livro de piadas
seu bicho de estimação
seu filme preferido
sua novela mexicana
seu livro de Biologia
seu copo de cachaça e sua taça de champagne.
Sou seu lutador de sumô e seu bailarino
sou seu violão sem cordas
sou Chico Buarque e Bruce Dickinson
sou margarida e orquídea
sou essa canção e sou teu necessário".

Devoção

Fico te olhando como se estivesse hipnotizada,
enfeitiçada
Olho como um gesto de contemplação,
adoração

Fica!

Per

Meus risos

correm

escorrem

aos litros


E você baba

2 de fev de 2009

Willkommen

Mas esse é o erro do vício
é uma parte da oração das prostitutas
O segundo passo
é perceber que encontrou
algo que precisava,
o mundo fica mais completo

O erro do vício
é exatamente a segunda vez:
o segundo passo,
o mundo preenchido
por algo que não conhecia
Esse é o erro do vício

O terceiro passo
é achar que tem o controle
Você não está no comando
Não vai conseguir
parar quando quiser

É assim a oração das prostitutas,
pedir a benção pro pecado.

Meu Copperfield

Eu passo horas
tentando
desvendar
seus truques
mágicos
Querendo saber
como você consegue
me encantar tanto

Oito

Toda vez que o telefone toca
o meu coração dispara:
pode ser você!
Toda vez que o telefone toca
o meu coração dispara:
pode ser você!
Toda vez que o telefone toca
o meu coração dispara:
pode ser você!
Toda vez que o telefone toca
o meu coração dispara:
pode ser você!
Toda vez que o telefone toca
o meu coração dispara:
pode ser você!
Toda vez que o telefone toca
o meu coração dispara:
pode ser você!
Toda vez que o telefone toca
o meu coração dispara:
pode ser você!
Toda vez que o telefone toca
o meu coração dispara:
pode ser você!

Entre marolas

Nós somos dois turrões
Eu só queria saber a sua opinião
Você só queria dar um mergulho
Eu tinha medo de me afogar
Mas há certas coisas
Que só se faz a dois
Às três da madrugada
E com aquela música de fundo

Você gosta de ver os sol nascer na praia
Eu gosto de dormir até às onze
Nós dois não gostamos de perder
E mesmo assim gostamos de apostar alto
Mesmo quando sabemos que não temos chances de ganhar

Nós somos dois inconseqüentes
Nós dois sabemos que morrer de rir
É morrer feliz

1 de fev de 2009

As rugas dos meus vinte anos

Parem o mundo!!!
Eu quero parar o mundo
Eu quero que o mundo pare
Antes que os vinte soldados
fortemente armados cheguem
para o meu fuzilamento

Eles se aproximam cantando
felizes porque vão matar
dezenove seres bizarros
Vão matar-me aos poucos

Os vinte soldados entram
sem ser convidados
arrombam as portas
e se preparam para atirar

São vinte soldados
famintos
pedindo uma gota de sangue.



Escrito em janeiro de 2004.

O azul

Pensei em ir um pouco mais à frente
mas ele poderia ser muito profundo
poderia ser bravio
poderia não dar pé
fiquei com medo por não saber o que iria encontrar
eu poderia não ter forças para nadar contra a correnteza

31 de jan de 2009

Jogos

chega mais
chega mais perto
chega mais perto de mim
chega mais perto de mim pra eu te contar
chega mais perto de mim, pra eu te contar os meus segredos
chega mais perto de mim pra eu te contar
chega mais perto de mim
chega mais
chega!

Photoshop

eu queria você na minha fotografia
um brinde aos meus olhos em qualquer horário
quero capturar essa prolixidade que quase não fala
não, eu nunca tenho certeza
mas é por causa da sua foto que eu queria poder editar
queria poder aplicar os efeitos que sinto
queria que uma fotografia fosse um sentimento
queria,
queria…

Como destruir um amor platônico

- Oi, tudo bom?
- Oi.
- Te vejo sempre passando por aqui… Trabalha aqui perto?
(Ela, mesmo sabendo que a resposta correta seria “não, dou uma volta enorme no quarteirão e passo todos os dias antes do trabalho por aqui só para olhar pra você”, responde
- Na rua de trás.
Ele, com um sorriso super simpático, estende a mão e, catastroficamente, diz:
- Trabalho aqui na locadora. Meu nome é Gladston.

Fuga dos olhares

Deixa os olhos fechados pra eu te enxergar melhor
prefiro quando você não encara meus olhos covardes
que quase fogem tentando se esconder.
Só não fogem por petulância
porque não quero me dar por vencida
e assim, finjo que não percebo
que já me rendi.

Ontem de noite (ou Das vontades)

Ontem de noite
É a coletânea das vontades
Das vontades que não se realizaram.
Ontem de noite
Os sonhos querem se encontrar
Ontem de noite
Vou te convidar pra dançar
Eu ainda pensei em fazer tudo novamente
Mas não existia nada que fosse novo
Pelo menos, não em mim.
Ontem de noite
Vou querer descançar
Ontem de noite vou te convidar
Ontem de noite iremos dançar
Ao luar…
O meu pobre coração,
bobo,
quis brincar de amores impossíveis com você.
Caiu.
Tentou ir em frente
retirando as pedras do caminho.
Tropeçou.