1 de fev de 2009

As rugas dos meus vinte anos

Parem o mundo!!!
Eu quero parar o mundo
Eu quero que o mundo pare
Antes que os vinte soldados
fortemente armados cheguem
para o meu fuzilamento

Eles se aproximam cantando
felizes porque vão matar
dezenove seres bizarros
Vão matar-me aos poucos

Os vinte soldados entram
sem ser convidados
arrombam as portas
e se preparam para atirar

São vinte soldados
famintos
pedindo uma gota de sangue.



Escrito em janeiro de 2004.

O azul

Pensei em ir um pouco mais à frente
mas ele poderia ser muito profundo
poderia ser bravio
poderia não dar pé
fiquei com medo por não saber o que iria encontrar
eu poderia não ter forças para nadar contra a correnteza