28 de jun de 2009

Feridas clichê

Já que o Merthiolate não arde mais
talvez agora eu possa usá-lo
para curar as feridas ainda abertas
que sangram toda vez que meu coração bate
e assim, finalmente, tirar esse band-aid
Porque coração com curativo 
além de doer, fica muito feio...

24 de jun de 2009

Creep IV

Quando você cair
eu vou te ajudar
vou te estender a mão
e te mostrar o caminho

Caminharei à sua frente
limparei sua estrada
chutarei as pedras
e taparei os buracos

Enfrentarei todos os seus medos
não existe o que temer,
vou estar ao seu lado

E se mesmo assim você se machucar
posso cuidar de você...

19 de jun de 2009

Deixe para depois

Deixe pra amanhã
Aquilo que você queria fazer agora

Porque agora você está de cabeça quente
E possivelmente fará merda

Mas amanhã, logo pela manhãzinha
Você verá o sol nascendo,
Ouvirá os pássaros cantando
Caminhará pela areia da praia
E isso vai te fazer espairecer.

Vai por mim,
Deixa pra depois...

Ah, o amor!

O Amor se acostumou a sair armado com suas flexas envenenadas disparando a torto e a direito com seu arco promotor de corações apaixonados. Mas um dia ele parou para analisar seus feitos e percebeu que causava muita confusão, então resolveu se desarmar.

Decidiu o tal do Eros que daquele dia em diante iria "reparar" os disparos feitos só de pirraça, aqueles para os quais ele sequer mirara o alvo e também os que por algum outro motivo lhe causaram arrependendimento.

Saiu convencido de que resolveria tudo muito facilmente, mas no caminho da empreitada tropeçou numa das pedras da estrada e deu de cara com um pivete curioso que logo quis saber quem ele era e o que estava fazendo naquelas bandas.

- Sou o Eros, vulgo Cupido, o deus do amor. Sou eu o responsável por fazer as pessoas cairem de amores. Estou aqui porque andei formando uns casais errados, fiz um monte de pessoas amar quem não deveriam. Vim para desfazer o efeito do amor.

O menino gargalhou e disse:

- Para quem se diz um deus, você não sabe de nada! Cupido, você até pode se desarmar, mas nunca fará ninguém desamar. Amor é pra sempre.

Então Eros voltou pra casa, colocou novamente seu arco nas costas e entendeu que aquela era sua missão.




Moral roxa da história: É amor? Então fodeu! Ou não...

16 de jun de 2009

Aquela foto

Como pode alguém normal
passar horas a fio olhando uma foto,
vendo e revendo os mínimos detalhes?
É só uma foto, só uma imagem
Não tem o toque da sua barba na minha pele
não tem como sentir o seu perfume
não dá pra acompanhar o brilho desses olhos
que mudam de verde para azul de acordo
com a iluminação do ambiente
não tem como passar meus dedos nos seus cabelos
tampouco minhas mãos pelo seu corpo
sentir você em todos os sentidos
De tudo o que foi só restaram fotos,
belos registros de dias felizes do passado
mas que agora só servem para acordar
sentimentos antagônicos que fazem eu não saber o que fazer.

11 de jun de 2009

Um barquinho de papel

Eu quis navegar os seus mares
com um barquinho de papel
que acabo de aprender a fazer
e entrei no barco
sem medo de afundar
sem me preocupar com a maré,
as ondas ou o vento forte
Agora procuro onde aportar.

10 de jun de 2009

Cena 2

Ele caminha pela calçada
mãos nos bolsos da calça jeans
casaco preto, all star
um sorriso tímido por fora
e escancarado por dentro.
Anda por entre as pessoas
como se não tivesse ninguém
pelo seu caminho porque, no fundo,
não consegue tirar aquele rosto da cabeça.
Segue torcendo para esbarrar
com ela em alguma esquina da cidade.

6 de jun de 2009

Pra te explicar

Porque quando fecho os olhos
a primeira coisa que eu vejo é você
como se o seu cheiro nos meus lençóis
ainda fosse real
Porque nessa madrugada fria
eu acordei e senti falta do seu abraço
do meu corpo junto ao seu
de sentir sua respiração no meu pescoço
Porque até poucos dias
eu não me enxergava em nenhum outro lugar
que não fosse ao seu lado
Mas agora,
agora eu quero te expulsar de mim
mesmo sabendo que você é um dos poucos
que entenderia se eu escrevesse
apenas três letras:
JTM.

1 de jun de 2009

Ontem

E eu já não
precisava de nada
Bastava seu sorriso
sua voz
seu olhar
Era só isso
e esse "só"
já era tudo

Caros sentimentos baratos

Se eu tivesse algum poder sobre os critérios,
bastaria que ele dissesse que gosta
de ouvir Bebel Gilberto, Beatles e AC/DC,
de Coca-Cola e caipirinha,
de chocolate branco e batata frita
e ficava tudo certo.
Mas aí o Cupido aparece,
mete meu coração no meio
e destrói o que poderia ser perfeito.