27 de dez de 2011

E gosto até mesmo quando implica com os meus erres, como se não tivesse sotaque
de quando estamos sentados no sofá e do nada você segura minha mão, como se não quisesse mais soltar

26 de nov de 2011

Nota

O amor para os não românticos 
é aquele pedaço de papel amassado 
que fica teimando em cima da mesa, 
invés de ser jogado na lixeira

16 de out de 2011

No princípio havia o tempo

- Te apressa que ainda pode dar tempo. O tempo sempre quis ser teu amigo e te ajudar. Por isso ele demorava a passar quando você chorava, esperava curar tuas feridas. Vai. Vai porque o tempo está do seu lado.

8 de set de 2011

Podemos combinar que por enquanto os dias continuarão nublados, cinzentos, frios
que numa tarde ou outra, o céu se abra por um tempo e possamos ver o sol se pondo
que uma brisa leve traga ar fresco no fim do dia
Mas por hora, não quero dias ensolarados.

4 de set de 2011

De volta ao remetente


É covardia oferecer a alguém com alarmante variação dos decibés de sanidade a dúvida cruel do remetente desconhecido. Até porque, usando um serviço de e-mail anônimo, você perde a chance de receber uma resposta decente e, pior, pode acabar tendo sua resposta virando uma ridícula postagem de blog. Sabe? Era mais prático criar uma conta de e-mail gratuita (tem tantas boas opções por aí) e enviar a mensagem de lá. Daria a impressão de pelo menos ser alguém mais esperto (?) - e se você me conhece mesmo, sabe o quanto sou chata com certas coisas. Quem sabe eu até te adicionava no MSN (apesar de fontes seguras afirmarem que isso não é muito saudável e eu mesma não ter muito tempo e paciência para usar qualquer messenger)?
Achei fofíssimas as suas observações sobre coisas que ninguém repara, é legal saber que alguém vê certos detalhes (porque eu realmente passo horas - às vezes dias - decidindo qual esmalte vou usar). 
Me desculpe se às vezes parece que não estou dando a menor importância pro que você (seja lá quem seja) fala. Na verdade estou sim prestanto atenção enquanto pareço não estar, é que presto atenção em mil coisas ao mesmo tempo. Mas se estou falando contigo é sinal de que o seu assunto (você?) é uma delas. A não ser que eu comece a responder tudo monossilabicamente, isso quer dizer que já passou da hora de mudar de assunto mas eu não quero e/ou não posso te mandar calar a boca.
Eu não sei o que é um "jeito de olhar apetecível", mas, cara, meu olho tá inflamado, não vejo (oi, trocadilho!) como poderia ter um olhar apetecível (seja lá o que isso signifique) nessa situação. Gosto de olhar nos olhos das pessoas e é normal que eu procure verdades escondidas nas pupilas do meu interlocutor (e infelizmente nem sempre encontro porque tem gente que olha para outras partes outros lugares invés de me ohar nos olhos).
Mas receber o seu e-mail hoje me fez sorrir. Tava precisando. Obrigada.

22 de ago de 2011

16 de jul de 2011

Diálogo

- Oi, moça! O que é isso no seu sorriso?


- Oi?


- É, tem algo nele. Tá dizendo alguma coisa que parece ser boa, mas não dá pra ter certeza do que é.


- Deve ser felicidade, seu Zé.

Só pra constar

Só pra constar
eu tenho manual de instruções
você não precisa necessariamente seguir passo a passo
aliás, eu vou gostar mais que você não precise de um manual
Que seja empírico enquanto dure

14 de jul de 2011

Sobre mim

E não posso me esquecer
de te contar que gosto de cantores e bandas que ninguém conhece,
assisto seriados médicos e policiais,
na livraria, vou direto nas prateleiras dos livros de História e nas biografias,
gosto de dias nublados, gosto de dias de sol

27 de jun de 2011

Diálogo

Numa mesa de um boteco em Casimiro de Abreu (RJ)


- Sei lá. Todos meus relacionamentos começam com uma música, ou tem uma música específica que ganha força em algum momento. Se não tiver uma música de fundo, pode rolar a química que for, a coisa não engrena, não rola.


- Não exagera, coisas lindas podem acontecer em silêncio.


- Não, é sério. Eu poderia fazer uma playlist. Só os caras que deixaram pelo menos uma música pra lembrar valeram alguma coisa.


- E qual música traz a lembrança mais forte?


- Tsc. Deixa isso pra lá, porque se eu disser, vou ter que contar a história toda.

23 de mai de 2011

Sem título

Encostei meu ouvido no travesseiro
e ele me contou, bem baixinho
que os lençóis também
sentem sua falta

7 de mai de 2011

"Não desiste"


- Não desiste.
Foi o que ele disse.
Lembro disso todas as vezes que penso em desistir. E suas palavras me dão forças sempre que meus braços já mal conseguem sustentar os remos. Os remos! Por que fui escolher essa metáfora?! Subo no mirante para olhar as ondas quebrando nas pedras até que um remador passa com sua canoa pela Boca da Barra e me tira toda atenção. Se continuar remando assim, pode não ter forças para ir contra a correnteza mais a frente. Continuo acompanhando suas remadas. Será que ele fará a curva? Será que continuará remando depois que encontrar a correnteza? Ele continua. Continua remando até que se torna apenas um pontinho no meio do mar. Volto a olhar as ondas.
Desço, caminho um pouco pela beira da praia. Água e areia nos pés. Vejo as crianças brincando com suas pranchas e, como se eu já tivesse me esquecido, volta a bater forte esse “não desiste”.
Mesmo cansada, mesmo quando as forças parecem ter acabado, não desisto e não me esqueço. Suas palavras estão comigo como um pingente. Às vezes penso até que são o leme desse barco.






22 de abr de 2011

Pragas

Ainda acreditava
Que guardar suas cartas
Era como guardar lembranças
De um tempo feliz do passado
Que a qualquer momento, ao reler,
Poderia relembrar certas sensações.
Mas quando abriu a gaveta, meio emperrada,
Das folhas amareladas pelo tempo
Só restavam algumas partes.
Os cupins conquistaram o território das lembranças para eles.

16 de abr de 2011

Atos dos dispostos I

Enquanto a ponta do pé desce entre os pelos do seu peito
Sua mão passa suave e firme
Pelo osso do calcanhar e vai até a panturrilha
Cada toque como quem não quer perder nenhum segundo
Puxa
Morde

28 de mar de 2011

Mesa do café da manhã

Ele reparava as madeixas que se deixavam
cair devagar e encobriam parcialmente
os sinais desenhados no ombro (dela)
Enquanto ela lia Saramago e, em voz alta,
resolveu compartilhar:
"no fundo, o mais importante de tudo é ser boa pessoa".
Ele concordou, e ainda olhando pra ela,
tomou um gole do café em sua xícara
Ela sorriu
Tiveram um bom dia.




Recebi um e-mail perguntando de onde a frase foi tirada. A quem mais interessar, é do livro As palavras de Saramago, lançado em 2010 no Brasil, pela Companhia das Letras.



23 de mar de 2011

Inacabado

Não sabia bem o que procurava
e meio sem querer acabou encontrando
os tais versos que vasculham o coração
citados na música que ouviam juntos
embora estivessem distantes

20 de fev de 2011

Ele, enquanto dormia

Escrevia na própria pele as coisas que achava bonitas
e escrever já era algo quase como respirar
De tudo, nem ligava mais para o cinismo que restara
Caminhava pela vida
e deixava suas pegadas na areia
Sorria
e isso bastava

31 de jan de 2011

Diálogo

- Boa noite. Em que posso servi-los?

- Mesa pra dois, por favor.

- Por aqui.

[...]

Mais ou menos uma hora depois:

- Desculpe incomodar, mas estamos na alta temporada, seria muito incômodo se vocês dividissem a mesa com outro casal?

- Sim, seria.

- Vocês vão me desculpar, mas nós temos uma fila de espera lá fora, posso trazer a conta então?

-Oi?!



Adoráveis garçons!