22 de abr de 2011

Pragas

Ainda acreditava
Que guardar suas cartas
Era como guardar lembranças
De um tempo feliz do passado
Que a qualquer momento, ao reler,
Poderia relembrar certas sensações.
Mas quando abriu a gaveta, meio emperrada,
Das folhas amareladas pelo tempo
Só restavam algumas partes.
Os cupins conquistaram o território das lembranças para eles.