2 de out de 2010

De um sábado nublado

Dirigia com os vidros abertos
por uma estrada longa, reta e vazia

O vento despenteava o cabelo
outrora bem alinhado
e secava lágrimas, que não lavaram a alma,
indisfarçáveis mesmo com lentes negras

No som do carro repetia-se o refrão
Happy stay in the way

Dirigia pesando o acelerador sem pesares