6 de jun de 2010

Eu queria ser um destilado
forte e suave, amargo e doce,
daqueles que fazem sorrir
e gritar de felicidade,
que embriagam leve e prazeirozamente,
que não dão ressaca no dia seguinte,
nem permitem que se acorde em companhia
constrangedoramente desagradável numa
manhã de domingo.
Eu ia ficar lá pertinho da jukebox do bar,
na prateleira das bebidas baratas,
esperando que alguém escolhesse
uma música que fizesse seu coração
bater mais forte quando você olhasse pra mim.