27 de jun de 2010

Fungos no meu maço de cigarros

Se eu fosse um arqueiro
e minha flecha fosse
um punhado de begônias vermelhas,
esticaria com destreza a corda do meu arco
e miraria nas encostas das estradas por onde ainda passaremos
Num sonho, as luzes seriam as estrelas
Seus olhos brilham enquanto observa o velho farol

Se eu fosse um pistoleiro num Western
e minhas balas fossem lembranças,
as guardaria cuidadosamente numa carteira de prata
Dispararia contra os fantasmas que rondam minha mente
e já não existiriam fantasmas e lembranças